Image for post
Image for post

Histórias de Resiliência: Vanessa Pereira

Como foi para você começar a Resilia?
Quando eu entrei na Resilia, eu não imaginava o nível do curso e posso dizer que realmente me surpreendi. No início, eu queria ocupar aquele lugar vago que a quarentena trouxe e achei que seria só mais um curso… Mas foi uma surpresa enorme!

E como você descreve sua experiência com as aulas, após esse momento de surpresa inicial?
A minha percepção é que cada facilitador olha para seus alunos com muito carinho, atenção e paciência, principalmente. No início, apesar da maioria das pessoas não terem essa noção tão clara, a gente já começa a ser direcionado e moldado para ser um bom profissional. De uma maneira geral, os facilitadores tech e soft, além da monitoria, fazem toda a diferença, porque a todo momento nós somos incentivados a fazer perguntas, tirar dúvidas e deixar claro o que gostou ou não gostou. Para mim, esse é justamente o diferencial do curso, porque a gente pode construir essa liberdade de aprender no nosso ritmo sem ser julgado.

Eu posso dizer que a minha experiência com a Resilia foi a melhor possível! Na parte de hard skills, a gente tem uma pegada de teoria que é seguida por uma atividade prática. Por mais complicado que a teoria pareça, a princípio, ter problemas reais para resolver faz toda a diferença na hora da aprendizagem. Fora as habilidades comportamentais, né, as famosas soft skills. Muitas pessoas tiveram uma diferença comportamental imensa — e eu fui uma delas.

Você pode dar algum exemplo dessa diferença comportamental na sua vida?
Eu percebi que nas primeiras aulas da Resilia eu entrava sem dar “oi” ou “tchau” porque não estava adaptada ainda, não interagia muito… Antes eu me sentia muito introvertida e falar em público me deixava bem desconfortável. Hoje eu já consigo lidar melhor com essa situação e me expressar mais, sabe? Eu fui me soltando e consegui me comunicar melhor. Eu acho que essa foi a minha melhor mudança por ter participado da Resilia, além de ter aprendido as habilidades hard skills.

E qual foi o momento que você enxerga como uma “virada de chave” profissional com a sua experiência na Resilia?
Para mim, essa virada de chave foi quando eu comecei a receber muitas propostas de vagas. Antes, era eu que ia até as empresas, passava horas procurando uma oportunidade. Quando eu cheguei no módulo 4, eu já estava com 90% das atividades práticas concluídas, além de estar com o Linkedin atualizado com as observações do curso. Foi aí que as vagas começaram a vir até mim.

Essa virada aconteceu quando eu percebi que estava realmente pronta e que, a partir desse momento, eu poderia entrar em qualquer vaga. Eu recebi muitas propostas (inclusive da minha coach que me acompanhou durante o curso), convites para participar de processos seletivos… até chegar em um momento em que poderia escolher em qual empresa eu queria trabalhar.

E agora, além de estar empregada e com as soft skills super afloradas, você também dá entrevistas! Como foi para você participar da entrevista para a Globo News?
Foi uma experiência muito legal! Eu amei participar da entrevista, fiquei muito muito feliz de poder falar um pouco sobre a minha vida e minha carreira. Eu compartilhei o link com todo mundo e adorei que muitas pessoas conseguiram assistir! Confesso que, se pudesse participar de uma entrevista toda semana, eu participava! A minha meta agora é ser capa de revista, hein?

A reportagem Perspectivas Para o Futuro do Mercado de Tecnologia da Informação (TI) foi ao ar no dia 07/12/20, para o programa Estúdio I, na Globo News. Você pode conferir o vídeo completo da entrevista aqui.

Para finalizar, como é para você ver que a sua carreira está dando certo na área de tecnologia?
Bom, o rumo que a minha carreira está dando eu realmente não esperava. Eu estava mirando em um tipo de emprego, um tipo de vaga e tudo aconteceu ainda melhor do que eu pensei! A Vanessa antes da Resilia estava dando “cabeçada”, participando de entrevistas para vagas que não eram para empregos dos meus sonhos — e mesmo assim eu estava sendo reprovada, o que me deixava ainda mais frustrada. E a Vanessa de hoje? Bom, aconteceu tudo isso! Esse foi um ano pesado, de fato, mas pra mim 2020 acabou sendo um ano mágico. Nesse ano eu me formei duas vezes, terminei minha faculdade em junho e a Resilia em novembro; entrei numa vaga de emprego em dezembro e ainda em dezembro também dei uma entrevista para TV. Não dá nem para imaginar tudo isso, mas tudo aconteceu em um ano!

Depois de se formar, Vanessa foi escolhida em votação pelos alunos da sua própria turma como uma das embaixadoras Resilia. Desde então, é um membro ativo na nossa Comunidade, organizando eventos na área tech e trazendo a sua voz junto com o Time Resilia na busca por uma área mais diversa. Essa entrevista foi concedida em sua primeira semana no trabalho novo.

Vanessa Pereira é #Resiliente

Gostou dessa história? Compartilhe!

Também quer ter sua história de vida mudada pelo impacto da resiliência? Inscreva-se em http://bit.ly/ResiliaMedium

E para + novidades, é só seguir a gente nas nossas redes sociais! @resilia.br

Na Resilia, formamos os melhores profissionais em tecnologia. Para isso, exigimos apenas uma coisa: garra.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store