Histórias de Resiliência: Thays Martins

Thays é uma daquelas pessoas querida por onde passa! Excelente profissional mesmo tão jovem — com apenas 20 anos! — , ela exalta suas habilidades técnicas e tem de sobra as comportamentais. Se formou na Resilia em Desenvolvimento Web Full Stack no final de 2020, após um ano extremamente desafiador para todo mundo. Mas não foi isso que abalou sua experiência de aprendizado, pelo contrário.

Nascida na Paraíba e carioca desde que se entende por gente, Thays esbanja suas qualidades em hobbies que são a sua cara: adora literatura fantástica, ouvir música e ainda toca violino! Mas como a Resilia entra nessa história? Bom, “programar é o que me traz felicidade”, é o que ela conta nesse bate papo inspirador.

Como foi pra você receber a notícia de que passou pra Resilia?
Eu fiquei muito surpresa! Eu tinha acabado de sair do Ensino Médio e estava começando a minha graduação em Ciência da Computação, na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), mas por causa da Covid-19 o calendário da faculdade parou — e parou tudo, né? Foi um momento de muita tensão para mim porque eu não queria ficar parada e ao mesmo tempo eu sabia que queria entrar no mercado de trabalho logo.

Eu me inscrevi na Resilia e fiquei muito feliz quando passei, porque eu pensei que era uma oportunidade que poderia agarrar muito firme com unhas e dentes, já que não tinha a faculdade ou outra ocupação naquele momento. Logo de cara, a impressão que eu tive foi muito boa porque eu percebi na Resilia um cuidado muito forte com os alunos, de procurar sempre extrair o nosso melhor e fazer a gente se manter em constante aprendizado. Essa foi uma das coisas que eu percebi de primeira, ultrapassando até mesmo as expectativas que eu tinha de “começo de curso”.

Em qual momento você percebeu que estava totalmente envolvida? Que caiu a ficha do “é isso que eu quero fazer pra minha vida”?
Eu não lembro muito bem um momento em que eu não estivesse totalmente envolvida com o curso, porque eu acho que a Resilia me envolveu desde o começo. Já nas primeiras aulas de imersão eu já sentia muito valor naquele aprendizado e isso só se confirmou ao longo dos meses.

Acho que a ficha começou a cair de que era isso que eu queria fazer para o resto da minha vida alguns anos atrás, porque eu tive um Ensino Médio Técnico no NAVE, entre 2017 e 2019. Eu já sabia que eu gostaria de fazer alguma coisa relacionada à programação e tecnologia, que gostava muito de desenvolver projetos e de programar, sempre achei isso fantástico. Mas, naquele momento, eu ainda não tinha muita noção dos lugares onde eu poderia chegar e de que esses lugares não necessariamente estavam tão longe de mim. Eu achava que era sim uma realidade que eu iria conquistar algum momento da minha carreira, em algum dia, mas não tão cedo, né?

Eu não achava que eu iria chegar ao mercado de trabalho tão rápido, mas depois que eu conheci a Resilia foi como ver meus sonhos de cara a cara. Acho que foi a partir da Resilia que meus sonhos profissionais começaram a se concretizar, mas eu já tinha começado a sonhá-los há um tempo atrás — e, talvez, se não fosse por isso, eu não tinha chegado na Resilia com tanta vontade de realizar.

E como foi a participação da Resilia na sua contratação? Você acha que ter feito o curso somou no seu currículo?

Não seria possível, sem a Resilia, chegar na empresa que eu estou agora. Foi na Resilia onde eu aprendi muita coisa, aprendi a trabalhar em equipe, como me relacionar com as pessoas, a desenvolver projetos e aprender a aprender, que é muito importante. Pelo menos agora, no trabalho em que eu estou, aprender é algo fundamental e saber aprender é mais ainda.

Com a Resilia eu tive noção das ferramentas que eu posso utilizar para vencer e o máximo, além da parte técnica, é saber ser #Resiliente, né? Porque ser programadora não é fácil, a gente encara dificuldades todos os dias! Então eu acho que a Resilia foi, ainda está sendo e eu creio que ainda será muito fundamental pra minha vida e carreira. Resumindo: a Resilia somou muito para o meu currículo e eu acredito que a minha contratação não seria possível sem o curso.

E para finalizar: qual conselho você daria pra alguém que quer começar agora uma carreira em tecnologia e gostaria de participar do nosso processo seletivo?
Bom, para começar, não precisa ficar com medo de não se sentir pronto, porque eu sei que a Resilia vai te preparar! Não dá para começar perfeito, ninguém é perfeito e muito menos começa assim. A gente tem que aprender alguma coisa durante o processo, então acredito que essa é a ideia!

Não tem porque sentir medo, porque você acha que não está pronto por um momento ou porque está tendo dificuldades, isso é normal! A ideia é evoluir e aprender constantemente... E não dá para evoluir se você já estiver perfeito, né? Nem se frustrar buscando uma perfeição que não existe. Podemos sempre aprender mais!

Thays começou a trabalhar como Desenvolvedora Back-End Jr na Livima Imóveis antes mesmo de se formar! É um membro ativo na nossa Comunidade de Resilientes e tem tudo para ser uma inspiração para meninas e mulheres que querem, assim como ela, entrar nesse mercado de tecnologia.

Thays Martins é #Resiliente

Gostou dessa história? Compartilhe!

Também quer ter sua história de vida mudada pelo impacto da resiliência? Inscreva-se em http://bit.ly/ResiliaMedium

E para + novidades, é só seguir a gente nas nossas redes sociais! @resilia.br

Na Resilia, formamos os melhores profissionais em tecnologia. Para isso, exigimos apenas uma coisa: garra.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store